Se você está planejando ou já tem viagem marcada para o Panamá, Costa Rica ou Cuba, não pode esquecer de tirar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) contra a febre amarela.

Esses são só alguns exemplos de países que fazem a exigência. Mas a lista é bem maior (quase 150, na verdade!) de lugares em que viajantes brasileiros com mais de nove meses de idade precisam estar imunizados contra a doença. 

Primeiro, que tal saber como fazer para tirar o certificado?

Como tirar o Certificado Internacional de Vacinação?

Solicitar o certificado é o segundo passo. Primeiro é preciso ir até um posto (pode ser público ou privado) que disponibiliza a vacina.

No dia, você vai receber um comprovante. Guarde ele e leve com você no dia de solicitar o Certificado Internacional de Vacinação.

Se você optar em tomar a vacina contra a febre amarela nas redes públicas, normalmente chamadas de UBS (Unidade Básica de Saúde) é preciso levar o seu cartão do SUS.

Se ainda não tiver, tenha em mãos um comprovante de residência e documento com foto, ele pode ser feito no mesmo dia. A vacina na rede pública é gratuita.

Com o comprovante em mãos, o melhor é fazer o pré-cadastro no site da Anvisa para agilizar o atendimento. Depois é só se dirigir até um dos locais que fazem a emissão do certificado, normalmente em Aeroportos, Portos e Fronteiras.

No site da Anvisa também é possível ver a lista de lugares que fazem a emissão do Certificado Internacional.

LEIA TAMBÉM:

WhatsApp no exterior: como continuar conectado durante uma viagem?

Viajar e ser vegetariano: uma missão quase impossível

Viajar sozinho: aprenda a organizar sua primeira trip

Quanto custa para tirar o Certificado Internacional de Vacinação e quanto tempo demora?

Para a alegria de todos, não há nenhum custo na emissão do certificado e ele fica pronto no mesmo dia. Você precisa ir pessoalmente até um local de atendimento credenciado, pois é preciso a sua assinatura.

Se você puder fazer com antecedência ao voo é melhor, pois pode acontecer do sistema deles cair e a espera ser longa.

Vou fazer apenas conexão em um desses países, preciso do certificado?

Sim. Mesmo que seja apenas conexão, os países exigem que qualquer passageiro brasileiro tenha em mãos o certificado.

Aí pode ser que o agente na imigração peça ou não. Então, não vale a pena arriscar e ser barrado em sua viagem.

Em alguns sites, você vai encontrar que só moradores do Espírito Santo e Minas Gerais precisam apresentar o comprovante internacional. Mas, segundo o agente da Anvisa que me atendeu em São Paulo, qualquer um deve ter.

Qual o tempo de validade do Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela?

Antigamente, a vacina contra a febre amarela tinha validade de 10 anos. Mas recentemente foi descoberto que uma única dose é suficiente para deixar uma pessoa imune a doença por toda a vida.

Sendo assim, o Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela passou a não ter uma data de expiração e serve por toda a vida.

Vale lembrar que a vacina deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da viagem.

Quais países exigem o Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela?

A lista é da Organização Mundial de Saúde (OMS) e alguns países exigem o certificado para evitar que o viajante seja infectado pela doença, principalmente no continente africano.

Certificado Internacional de Vacinação

Se você ficou com alguma dúvida é só deixar nos comentários!

Até a próxima! 🛩

Faça parte da tripulação!

Inscreva-se para receber novidades em seu e-mail. Nada de spams 😉