Se você quer arrumar as malas e partir para realizar o seu sonho de estudar em outro país, vale a pena dedicar bom tempo para o planejamento.

Isso vai ajudar a evitar arrependimentos comuns para qualquer pessoa que resolve fazer um intercâmbio.

As primeiras preocupações sempre são: qual será o melhor destino? Em qual escola eu quero estudar? Onde vou morar? Quanto dinheiro vou gastar.

Mas é comum que, mesmo que esses pontos sejam super importantes, eles acabem ficando esquecidos quando a euforia toma conta. Grande perigo!

Para evitar erros comuns na hora de fechar seu intercâmbio, separei cinco tópicos responsáveis por gerar frustração em quem parte nessa experiência.

Leia com atenção, fuja deles e curta muito seu tempo fora!

1 – Escolher o país errado para intercâmbio

Sabe aquele país que você vê em filmes ou fotos e pensa que sua vida seria perfeita se você morasse lá? Então, a dura verdade é que talvez ele não seja o melhor destino para o seu intercâmbio.

Morar é diferente de viajar. Às vezes, o destino dos seus sonhos é perfeito para uma viagem de férias, mas será que ele se encaixa no que você quer para o seu dia a dia?

Antes de fazer sua escolha, pense o seguinte: será que aquela neve constante vai ser divertida também quando você precisar acordar cedo todos os dias para ir estudar?

Esse é um dos pontos que acabam gerando arrependimentos nos intercambistas, escolher o país errado.

Antes de bater o martelo para o destino, procure pesquisar bem como é o clima do local, sua cultura e liste tudo em um papel. Depois compare e veja qual continua valendo a pena.

Outro erro ao fechar um intercâmbio é escolher um lugar apenas por ser mais barato. Não caia nessa. Lembre-se que você vai investir seu tempo e dinheiro nessa experiência e ela merece ser a melhor da sua vida.

Resumindo, antes de decidir o seu destino, considere: será que esse país tem realmente a ver comigo ou só estou escolhendo ele por custos e por algumas paisagens bonitas que vi em fotos?

Com essas reflexões respondidas, você estará mais preparado para fazer a escolha certa.

2 – Fechar uma escola sem pesquisar

arrependimento intercâmbio

O segundo ponto do “ranking de arrependimentos” de um intercâmbio é a escolha da escola em que você vai estudar. E preciso deixar claro que mesmo que você tenha uma agência ajudando nessa tarefa, a decisão precisa ser sua.

O erro mais comum nessa etapa é escolher a escola por ela ser mais barata que aquela que você realmente queria. Cuidado.

Antes de fechar sua escola, pesquise muito (muito mesmo!). Com a internet é possível achar muitos comentários de pessoas que já passaram pelo mesmo lugar.

Além disso, leve em consideração o método que eles usam para ensinar, as facilidades que você terá à sua disposição.

Escolher o lugar certo pode fazer toda diferença em ter uma experiência positiva de intercâmbio. Afinal, é lá que você vai passar a maioria do seu tempo, vai aprender coisas novas, conhecer seus futuros amigos para passear juntos e explorar o novo país.

LEIA TAMBÉM:

3 – Reservar o tipo de acomodação errada

Quando falamos em acomodação, mais uma vez é preciso lembrar que você não estará lá por sete ou dez dias, dependendo do tempo de duração do seu intercâmbio.

E assim como os pontos anteriores, a acomodação conta bastante na hora de ter uma experiência positiva.

Pense o seguinte, você já estará fora da sua casa, longe da sua cultura, dos amigos e familiares. Conseguir achar um lugar que você se sinta à vontade vai colaborar no seu processo de adaptação em outro país.

Fique atento ao seguinte pensamento “Ah! mas eu encaro um quarto compartilhado, são só seis meses”.

Sim, realmente essa acomodação será temporária, mas se ela não for confortável e atender suas necessidades durante o período de estudo, você pode acabar se desmotivando durante o percurso.

É muito comum as pessoas quererem economizar na acomodação, mas é preciso pensar nesse item com mais carinho.

Se o seu país de destino não exigir que você tenha acomodação reservada por todo período para conseguir o visto, uma alternativa é reservar um espaço temporário e chegando lá, buscar um lar fixo.

Antes de fechar uma opção de acomodação entre tantas disponíveis. Como, por exemplo, residência estudantil ou casa de família, pense bastante nos pontos positivos e negativos de cada uma e veja qual se encaixa melhor ao seu perfil.

Estar em casa de família pode ser muito rico culturalmente, mas não se esqueça que você terá que seguir as regras deles.

4 – Enxugar muito o orçamento do intercâmbio

Chegamos em um ponto bem importante no planejamento de qualquer pessoa que queira fazer intercâmbio. Qual valor devo reservar para viver?

A resposta depende muito do país que você escolher, da cidade e do estilo de vida que você vai ter.

É possível encontrar diversas pessoas falando sobre o assunto na internet e nesse orçamento mensal você precisa considerar aluguel, alimentação e custos com transporte.

Esse seria o pacote básico. Mas lembre-se também de incluir diversão, viagens de final de semana e aquelas comprinhas que você não vive sem.

É comum que as pessoas quando estão pensando em fazer um intercâmbio acreditem que dá para “segurar os gastos” e curtir mais as atrações gratuitas do lugar que escolheu. Sim, é possível, mas não considerar gastos extras é um grande erro.

Lembre-se novamente, você estará distante dos amigos, da família e se divertir é essencial para encarar essa adaptação.

Além disso, é comum que você faça amigos e queira sair para comer ou beber algo em um sábado à noite. Então evite o arrependimento de não aproveitar seu intercâmbio e separe uma grana extra.

LEIA TAMBÉM: 

5 – Deixar de curtir ao máximo o lugar que você escolheu

E aí vai o quinto arrependimento comum para quem resolve encarar a vida de intercambista: não aproveitar muito o país de destino.

Parece impossível? mas saiba que não é e isso pode acontecer por diversos motivos, inclusive os que listei nos tópicos anteriores.

Quando pensamos que teremos seis meses ou um ano em um novo lugar, parece óbvio que vamos conhecer ao máximo. A realidade não é bem assim.

Seja porque os estudos exigem bastante e acaba faltando aquele tempo para curtir ou seja porque chegando lá a saudade de casa e da família aperta e você acaba só pensando no dia de voltar.

Fuja desse arrependimento e vá de coração aberto. Viver em outro país e conhecer novas culturas exige bastante desapego e disposição de se redescobrir.

E vale lembrar que o contrário desse tópico também é válido, curtir demais a vida longe e acabar perdendo o seu foco no meio do caminho.

Muitas pessoas quando se veem sozinhas e sem ninguém para dar satisfação, acabam se perdendo em festas e diversão e esquecem do objetivo que a levou lá, estudar.

Escolhi esses cinco arrependimentos baseada na minha própria experiência de intercâmbio na Irlanda e também pelas conversas e histórias de pessoas que conheci pelo caminho.

Espero que esse texto ajude você no seu planejamento e que você possa aproveitar ao máximo seu intercâmbio. Claro, sem arrependimentos. ☺

Até a próxima! 

Faça parte da tripulação!

Increva-se para receber dicas em seu e-mail. É free e nada de spams. 🙂