Bienvenue, voyageur! Você já imaginou morar na França? No país da romântica Paris ou da badalada Cannes?

Eu nunca tinha pensado nisso até alguns anos atrás e acreditei que o único sentimento que o país poderia despertar em mim seria, claro, o amor. Afinal, qual outro lugar tem mais fama de romance?

Mas como nem tudo é tão belo quanto o pôr do sol visto da Torre Eiffel.

Depois que me mudei para as terras de Napoleão descobri alguns motivos que me fizeram desenvolver um relacionamento meio “amor e ódio”  ao morar na França. É sobre eles que vou falar hoje.

Será que você já sentiu o mesmo? Dá uma olhada!

torre eiffel França

Meus 5 casos de amor ❤ pela França

1 – Cidra, a bebida mais deliciosa que já tomei

Embora a França seja muito famosa pela sua produção de vinho de alta qualidade e também pela champagne, foi a cidra que roubou meu coração.

A bebida alcoólica é tradicionalmente feita da maçã. Mas existem variações de sabor utilizando outras frutas. A principal região responsável por produzir essa gostosura é a Bretagne (em português Bretanha).

Ao morar na França e conviver com uma família local, percebi que a cidra é a preferida para acompanhar celebrações especiais do cotidiano, como um bolo de aniversário. Por aqui até as crianças tomam uma tacinha.

2 – Châteaux, você encontra um castelo em cada esquina

Sem dúvidas uma das atrações que mais gosto de visitar na França são os castelos.

Você encontra um em praticamente todas as cidades e são todos bem conservados. Além de poder viajar na história do país, as paisagens são lindas. O jardim é sempre uma das partes mais encantadoras.

O Palácio de Versalles pode ser o mais conhecido, mas os que mais me marcaram foram o castelo de Chambord e o castelo de Chenonceau. Não deixe de visitar.

Leia também:

3 – Sobremesas, a confeitaria francesa é ótima para engordar

Mesmo que a sobremesa “petit gateau” não exista em terras francesas com esse nome, são muitas delícias para acabar com o regime de qualquer um.

Adoro sair para andar à tarde e parar em uma boulangerie/ pâtisserie pra tomar um café acompanhado de um pain au chocolat ou um flan.

Deixa a tarde de qualquer um mais doce e, claro, com um quilinhos a mais também.

4 – Transporte, é fácil se locomover de um lugar a outro

Outro ponto positivo de morar na França é a grande variedade de transportes públicos disponíveis, com qualidade e preços para todos os tipos de bolso.

O trem é um dos mais caros, infelizmente, porque ele é o meu preferido. O ônibus de viagem é a opção mais econômica que usei até agora.

E se você preferir alugar um carro, as estradas são boas e bem conservadas. Aqui é normal que você consiga chegar em um destino pela estrada principal (onde é preciso pagar pedágios que podem ser meio salgados) ou então por vias alternativas.

A vantagem da autoroute é que ela possui muitos pontos de parada para restaurantes e banheiros e a velocidade comum é de 130 km/h.

Já nas rodovias alternativas, para ir ao banheiro você precisará parar em algum Mc Donald’s ao passar por uma cidade. A velocidade costuma ser de 90 km/h e é comum que você encontre muitos animais, por isso o melhor é manter-se atento.

5 – Qualidade de vida, um diferencial e tanto

Poder andar com segurança e sem precisar olhar para os lados a todo momento com medo de quem se aproxima. Ter um transporte eficiente, na cidade que moro o ônibus atende bem as necessidades dos moradores e ainda é de graça.

Escolas e faculdades boas ao alcance da população. Esses entre outros fatores, me fizeram desenvolver um grande amor por esse país. São pontos que sentia (e sinto) muita falta no Brasil.

chateau valençay França

Meus 5 casos de ódio 💔 pela França

1 – Língua francesa, com sua difícil pronúncia

No começo eu achava o francês muito difícil para pronunciar. Embora algumas palavras escritas sejam parecidas com o português, a pronúncia costuma mudar bastante e alguns sons são difíceis para reproduzir.

Não é a toa que das línguas derivadas do latim, ela seja considerada a mais difícil para nós brasileiros.

O pior é que se você não conseguir falar bem parecido com o jeito deles, dificilmente eles vão entender e você vai ficar repetindo com aquela cara de decepção, já passei muito por isso.

Felizmente, agora já consigo me comunicar bem em francês, ufa!

2 – Comida gourmet, meu grande pesadelo

A gastronomia francesa é considerada de alto padrão e costuma ser bem cara. Muitas pessoas amam se deliciar nos restaurantes franceses.

Acontece que para uma vegetariana, como eu, isso foi um dos grandes desafios que enfrentei.

Prato principal na França é sinônimo de carne e pode ser daquelas bem diferentes, digamos. Como o tartar, carne bovina crua, ou o escargot, aquela lesma gentilmente chamada de caracol.

Não foi nada fácil no começo encontrar lugares que serviam opções vegetarianas. Na verdade, até hoje esse é um assunto complicado. Mas agora, pelo menos, já conheço melhor onde posso encontrar pratos de legumes.

Dica: ⚡ Se você também é vegetariano, meu conselho é procurar as cafeterias, como a Flunch. Elas possuem um menu de legumes por um preço bem justo. O prato custa, em média, 4,95 euros. Além dela, o Subway também possui lanche com steak vegetariano.

3 – Cinema, a versão dublada reina

Sempre odiei assistir filmes dublados em português. Se a dublagem só muda de língua, para o francês, não faz nenhuma diferença.

O problema é que na França a maioria das pessoas só assistem a versão dublada e os cinemas dificilmente oferecem a opção legendada.

Na cidade onde moro sem chances de conseguir curtir um longa com as vozes originais. Sempre preciso ir para cidades maiores e pesquisar antes, pois não é difícil achar apenas um horário durante o dia em que a sessão não seja dublada.

4 – O atendimento, simpático de mais ou seco de mais

Nos lugares que passei a frequentar ao morar na França geralmente o atendimento costuma ser meio oito ou oitenta.

Ou eles são extremamente simpáticos e acabam irritando ao pronunciar as palavras como “Bonjour” e “Merci beaucoup” cantando ou eles vão deixar você esperando na fila por 20 minutos e não estão nem preocupados em se desculpar por isso.

Além disso, escolher o lugar que você quer sentar é algo nada comum em terras francesas. Ai se pedir para mudar de mesa então, certamente vai receber uma boa careta do garçom. Dizem que é o costume, então paciência.

5 – Cumprimento, a quantidade maluca de beijos

Eu não sei quem inventou ou o motivo, mas dependendo da região francesa que você estiver o número de beijos que você deve dar ao cumprimentar alguém pode variar entre 1, 2, 3 ou 4!

A tradição dos três beijinhos é mais ao sul da França. Já mais ao nordeste e noroeste algumas regiões adotaram os quatro beijinhos.

Já acabei deixando ou ficando no vácuo algumas vezes, sem saber o bendito número correto. Mas não é nada grave, você dá uma risadinha e fica tudo bem.

Claro que meus casos de ódio refletem, na verdade, as diferenças culturais de cada lugar e ilustram como cada país tem suas peculiaridades que precisamos nos adaptar quando passamos a viver lá. Não é nada sério.

Espero que você tenha gostado das minhas considerações ao morar a França. Deixe um comentário e compartilhe suas experiências também. Ah! E se você quer acompanhar dicas de viagens, passa aqui para seguir meu Instagram! 🙂

Até a próxima e au revoir! ✈

Faça parte da tripulação!

Increva-se para receber dicas em seu e-mail. É free e nada de spams. 🙂