Ai Santiago! Como adoro essa cidade (na verdade, esse país!). Declarações à parte, é difícil escolher o que fazer em Santiago, sem deixar de fora algo especial. Por isso, nesse texto vou listar as principais atrações da cidade para quem está indo pela primeira vez, assim você monta o seu roteiro como achar melhor.  

A capital chilena está a pouco mais de três horas de avião de São Paulo e rodeada pela bela Cordilheiras dos Andes. Na verdade, esse é um dos seus principais charme, tanto no verão quanto no inverno – quando a neve toma conta das montanhas.

A cidade em si tem uma estrutura bem parecida com São Paulo: centro antigo e bairros que foram ganhando espaço no mundo moderno. Tem muita coisa legal para ver e fazer durante a sua passagem por lá. Vamos a lista!

O que fazer em Santiago: principais pontos turísticos

Plaza de Armas

Aqui é onde a cidade começou a tomar forma, lá em 1541. A Plaza de Armas tem sido, durante toda a história de Santiago, um dos principais pontos para eventos públicos, políticos ou mesmo religiosos.

É um passeio agradável para ser explorado a pé, para quem quer conhecer a cultura local e observar os edifícios antigos. É nela que está a Catedral Metropolitana de Santiago, a primeira igreja católica construída no país, o Museo Histórico Nacional, onde você pode conhecer mais sobre a história do Chile e também o prédio do Correio central.

Para chegar até a Plaza de Armas, o melhor é usar o metrô, pegue a linha 5 e desembarque na estação de mesmo nome.

Museu de Arte Pré-Colombiana

Se você gosta de visitar museus e que saber o que fazer em Santiago, o de Arte Precolombino oferece uma exposição permanente sobre os povos da chamada Meso América, Caribe, entre outros. Eles também contam com uma coleção de têxteis andinos.

Outra exposição permanente é sobre “O Chile antes do Chile”, contando a história dos povos indígenas que habitaram o país. Além dessas, o espaço também tem exposições temporárias. Pelo site do museu você pode consultar mais informações.

Para chegar até o Museu de Arte Precolombino, basta caminhar cerca de três minutos da Plaza de Armas.

Preço de entrada: $ 6.000 (cerca de R$ 32).

Horário de funcionamento: terça a domingo das 10h às 18h.

Mercado Central

Uma boa parada para quem quer conhecer a gastronomia típica do Chile. O prédio é considerado monumento histórico e o local é principalmente procurado pelos amantes de frutos do mar e peixes.  

A dica para quem decidir comer no local é comparar. Os restaurantes localizados na parte principal, como o Augusto e o La Joya del Pacífico, são mais caros. Outros menores tem uma aparência mais duvidosa. Mas o Tío Lucho e o Tío Willy oferecem um bom preço e qualidade.

Se você quiser comprar algo lá, vale a pena pesquisar o valor das especiarias dentro e fora do mercado, pois nem sempre os preços são melhores. As garrafas de Pisco, típica bebida alcoólica, por exemplo, chega a custar mais do que em supermercados.

Para chegar até o Mercado Central, você pode ir andando da Plaza de Armas, um caminho de oito minutos ou pegar a linha 2 do metrô e descer na estação Puente Cal y Canto.

Palácio La Moneda

A maioria dos roteiros de “O que fazer em Santiago” incluem o Palácio La Moneda. Pois é aqui está a sede da Presidência da República do Chile. É possível fazer um tour por dentro do palácio, visitando três salões no primeiro andar e os pátios.

Só que esse tour precisa ser agendado com, pelo menos, uma semana de antecedência por meio de um formulário preenchido no site oficial do palácio, aqui você pode acessá-lo.

As visitas acontecem de segunda a sexta, os horários podem ser escolhidos entre 9h30, 11h, 15h ou 16h30.

Não se esqueça de ler com atenção as instruções que estão no site do que é permitido e o que é proibido levar durante o tour.

Além disso, acontece, a cada dois dias, uma exibição de troca de guardas do palácio, se você quiser assistir, não deixe de consultar o horário pelo site.

Para chegar ao La Moneda, você pode descer na estação do metrô de mesmo nome, da linha 1. Se você estiver fazendo o tour pelo centro, o palácio fica a oito minutos do Museo de Arte PreColombino.

Parque metropolitano de Santiago

Deixando o centro histórico, vamos falar do parque metropolitano de Santiago que também é uma das principais atrações da capital. São 700 hectares, sendo considerado o quarto maior parque urbano do mundo.

Em sua visita à capital e no seu roteiro de o que fazer em Santiago vale a pena reservar um dia para conhecer as atrações do lugar. A entrada no parque é gratuita, mas para fazer as atividades, é preciso pagar. Coloquei as principais abaixo e você pode escolher qual prefere.

Para chegar: o parque tem oito entradas, mas a principal é a Pío Nono, pelo estação Baquedano do metrô, na Recoleta.

Zoológico Nacional

Fonte: http://www.parquemet.cl

Um dos atrativos do parque é o Zoológico Nacional, conta com uma boa variedade de espécies e tem um cinema que passa documentários sobre preservação e curiosidade dos animais. A parada é mais interessante para quem está com crianças.

Como chegar

Além do acesso principal, o funicular também faz uma parada por lá.

Horário de funcionamento:

  • De terça a domingo: temporada de inverno das 10h às 17h e temporada de verão das 10h às 18h.

Preço

  • Adultos 4 mil pesos / crianças, estudantes e terceira idade 2 mil pesos

Cerro San Cristóbal

Um dos principais mirantes da capital chilena. Do Cerro San Cristóbal você pode ver a cordilheira dos Andes cheia de neve no inverno e tirar várias fotos da cidade no verão. A vista é bem bacana e lá você pode experimentar a Mote con Huesillo, uma bebida não alcoólica típica do Chile. Ela é um néctar de trigo e pêssegos, bem popular no verão.

É aqui no Cerro que você vai encontrar também o Santuário Imaculada Conceição. A imagem da virgem tem 22 metros de altura e pode ser vista facilmente de diversos pontos de Santiago (vamos dizer que é tipo o Cristo Redentor. Eu disso tipo, ok?).

Para quem se interessar, aos domingos, acontece a missa em dois horários, basta verificar aqui no site oficial do Santuário.

Como chegar:

Tem muita gente que sobe o parque Metropolitano de bicicleta, mas se não for o seu caso, o jeito mais prático é usar o funicular.

Ele é uma espécie de bondinho que leva as pessoas da entrada do parque até o Cerro San Cristobal.

Horário de funcionamento do funicular:

  • Temporada de inverno de terça a domingo das às 18h45 / segunda das 13h às 18h45
  • Temporada de verão de terça a domingo das 10h às 19h45 / segunda das 13h às 19h45

Fique de olho, pois no site diz que na primeira segunda-feira de cada mês o funicular fecha para manutenção.

Preço

Fonte: http://www.parquemet.cl

 

Teleférico

O teleférico de Santiago voltar a funcionar depois de um longo tempo fechado para reforma. A atração é interessante para ver a cidade do alto e também para percorrer o parque metropolitano.

São três estações: a Cumbre (ponto de conexão com o funicular e o Cerro San Cristóbal), a Tupahue (com acesso a Piscina Tupahue do parque que funciona apenas no verão) e a Oasis (que dá acesso a entrada Pedro de Valdivia do parque, conta com cafeterias e fica a 15 minutos andando do shopping Costanera).

Você pode comprar o bilhete e descer em cada uma delas, sem tempo determinado.

Horário de funcionamento

  • Temporada de inverno de terça a domingo das 10h às 19h
  • Temporada de verão de terça a domingo das 10h às 20h

Preço

Fonte: http://www.parquemet.cl

Cerro Santa Lucía

Com acesso pela estação Santa Lucía do metrô, eu achei o lugar ótimo para também ter uma vista de Santiago de cima, mas principalmente para quem gosta de tirar fotos. A arquitetura do parque urbano é um charme.

A entrada é gratuita, você só precisa deixar seu nome e número do passaporte no livro de registros.

Vale dizer que para chegar ao topo é preciso um esforço físico razoável, então prefira roupas e sapatos confortáveis.

Sky Costanera e Costanera Center

O Costanera Center é um polo financeiro, a torre enorme e espelhada se tornou um dos cartões postais de Santiago. Nele, está o Sky Costanera, um mirante com 300 metros de altura, sendo considerado o mais alto da América Latina.

Você tem uma vista 360º da cidade, podendo curtir a cidade e a Cordilheira dos Andes em volta. Eu, particularmente, não acho o Sky Costanera uma atração imperdível, os outros mirantes que citei acima também oferecem uma vista linda de Santiago, em meio à natureza. Mas, aí é gosto pessoal.

Horário

  • Segunda a domingo das 10h às 22h, sendo o último horário de subida às 21h.

Preço

  • Adulto 15 mil pesos
  • Crianças até 12 anos 10 mil pesos

Você pode comprar sua entrada aqui pelo site oficial do Sky Costanera.

No local também está o Costanera mall, um shopping gigante com todas as lojas que você pode imaginar, inclusive a H&M e a Falabella (uma rede de lojas de departamentos chilena, como a Renner).

O lugar é interessante para quem quer adquirir um chip de celular – foi lá que comprei o meu – e também para passear, fazer compras, ir ao cinema ou contar com diversos restaurantes num lugar fechado.

O shopping tem um programa chamado On Tour, voltado para turistas que oferece desconto em algumas marcas. É preciso se registrar, entenda melhor as regras aqui.

Como chegar no Costanera Center

O polo fica no bairro Providencia e a estação do metrô mais próxima é a Tobalaba.

La Chascona

Para quem é fã do poeta chileno, Pablo Neruda, essa é uma atração e tanto em Santiago. La Chascona é onde ele viveu com sua terceira esposa e hoje funciona como um museu.

A arquitetura é inspirada em um barco e toda sua decoração transborda a paixão do poeta pelo mar. La Chascona fica no bairro Bellavista, bem próxima do Cerro San Cristóbal.  

Horário de funcionamento

  • Março a dezembro de terça a domingo das 10h às 18h.
  • Janeiro e fevereiro de terça a domingo das 10h às 19h.

Preço

  • Adultos 7 mil pesos / estudantes e terceira idade 2,500 mil pesos chilenos.

Bônus: o que fazer em Santiago

Além das principais atrações da cidade que citei acima, aí vão mais algumas dicas da minha experiência por lá.

Patio Bellavista

Nesse espaço aberto, você vai encontrar diversos restaurantes, tem opções peruanas, hambúrguer (fui no Mr. Jack e gostei, tem opção vegetariana), japonesa, Starbucks, sorveteria e por aí vai.

Recomendo a visita no Patio Bellavista, você vai encontrar também caixas eletrônicos (se quiser sacar dinheiro), uma franquia da Turistik para fechar passeios e algumas lojinhas de artesanato.  

Bar La Virgen

Na minha passagem por Santiago, encontrei uma amiga em um barzinho chamado La Virgen. O terraço tem uma decoração e uma vista para o Cerro San Cristóbal muito bacana (ótimo para fotos).

No cardápio você encontra diversos drinks e petiscos, tudo é feito com muito capricho, não é o lugar melhor para comer, só para beber algo e curtir o entardecer mesmo.

La Piojera

Foi um dos momentos mais engraçados da viagem. Um chileno me recomendou ir ao La Piojera, um bar super tradicional de Santiago, e experimentar um Terremoto (bebida típica).

Porém, devo confessar que achei o lugar péssimo. É bem butecão do centro de São Paulo, a bebida estava horrível e não me senti à vontade para comer nada lá.

Experimente o Terremoto em outro local! Mas se ainda assim você for curioso e quiser conhecer com seus próprios olhos, o La Piojera fica bem próximo ao Mercado Central.

Templo Bahá’í

Esse espaço não é um destino muito popular ainda, por isso, nem sempre as pessoas o incluem em sua lista de o que fazer em Santiago.

O Templo Bahá’í foi inaugurado em 2016, sendo um centro de adoração com base na Fé Bahá’í. Sua arquitetura é bem diferenciada, em formato de uma flor, com nove pétalas. Ele foi construído aos pés da Cordilheiros dos Andes, num ponto alto de Santiago.

A vista que se tem da cidade lá de cima é bem bonita, a entrada é gratuita e qualquer pessoa pode frequentar, independente da religião.

Como chegar

O templo não fica nos bairros centrais e mais visitados por turistas. Por isso, é um pouco mais complicado para chegar sem carro. A melhor forma é chamar um Uber.

Agora se preferir transporte público, então desça na estação Los Dominicos do metrô e de lá pegue um ônibus.  

Atrações populares saindo de Santiago

Além das atrações que a própria capital chilena oferece, é muito comum visitar lugares próximos a ela. Os principais são:

Vinícolas

O Chile é uma forte referência quando o assunto é vinho. As vinícolas mais populares com saídas de Santiago são Cousiño Macul e Concha y Toro.

Se quiser conhecer o processo de um vinho orgânico, a Viña Emiliana é uma das opções, lá tem degustação e uma loja para comprar garrafas de vinho.

Valparaíso e Viña del Mar

Um dos passeios clássicos saindo de Santiago é até a cidade fofa de Valparaíso, conhecida por suas coloridas e pelos morros. É nela que está La Sebastiana, outra casa de Pablo Neruda.

Viña del Mar (chamada de cidade Jardim pelos chilenos) é bem animada no verão, quando acontecem diversos eventos musicais. A água da praia é bem gelada, difícil encarar, viu?

Estações de Ski

O Chile também é muito procurado por suas estações de Ski. As mais próximas de Santiago e bem conhecidas são a Valle Nevado (a maior estação do Chile), El Colorado e o parque Farellones.

Pronto! Aqui estão minhas sugestões de o que fazer em Santiago na sua primeira visita à cidade. Aproveite sua viagem e não se esqueça de compartilhar nos comentários o que você achou, combinado?

Até a próxima! 🚀

Faça parte da tripulação!

Increva-se para receber dicas em seu e-mail. É free e nada de spams. 🙂