Embora eu ame viajar, nunca fui muito fã de avião. E é por isso que sempre tentei explorar outras opções de deslocamento. Mas, em 2019, esse experimento me colocou em uma furada e, sem dúvidas, posso classificá-la como a pior viagem da minha vida! 

Você vai entender melhor tudo o que aconteceu ao longo deste texto e, ao final, vou aproveitar para compartilhar alguns aprendizados e dicas, caso você queira também se aventurar em uma viagem de ônibus pela Europa. 

O motivo da escolha 

ônibus pela Europa - igreja de Praga

Minha irmã estaria em Praga, na República Tcheca, e me convidou para encontrá-la por lá. Eu estava morando na França e iria de Paris. Como eu tinha acabado de fazer uma road trip pela Europa, eu queria economizar sem perder a oportunidade de vê-la.

O preço dos voos estavam surpreendentemente caros e foi aí que eu tive a “brilhante” ideia de pesquisar os preços de ônibus. Para você ter ideia, de ônibus eu pagaria 39 euros no bilhete de ida e ainda teria direito a uma mala de 20kg. Já de avião não havia nada abaixo de 140 euros, incluído apenas a bagagem de mão, de 10kg.

Foi por isso que decidi fazer a experiência de viajar de ônibus pela Europa e comprei meu bilhete pela companhia Eurolines. Seriam 14 horas de viagem e no site a empresa dizia que o ônibus contava com Wi-Fi, carregador, ar condicionado e banheiro. 

Viajar de ônibus pela Europa: a realidade

Como não havia a possibilidade de reservar lugar pelo site, cheguei um pouquinho antes e, ao entrar no ônibus, senti um arrepio. Eu já havia feito o mesmo no Brasil diversas vezes, normalmente pela Cometa e a qualidade dos assentos era completamente diferente.

O ônibus era apertado, mesmo eu pequena sobrava pouco espaço para as pernas. O assento nada confortável e, foi aí que me dei conta que o que eles chamavam de carregador no site era, na verdade, uma extensão com quatro plugs deixada em cima da cabine do banheiro (uma pena que perdi a foto!)

O ônibus partiu e foi um acontecimento atrás do outro. O homem que estava atrás de mim recebeu uma ligação, falava alto e ficou por uma hora. Mas, não parou por aí, das 18h (horário que partimos) até as 22h ele não parou de falar no telefone por mais de cinco minutos!

Para você ter ideia, quando o celular dele tocava, um coral começava “Eeee, no!”, mas ele nem se importava. Foi aí que eu lembrei de uma grande vantagem do avião: celulares são proibidos e não tem sinal.

Outro ponto alto da viagem foi a disputa pela extensão. Eram quatro plugs para cerca de trinta pessoas desesperadas para carregar o celular. Alguns fizeram monopólio da tomada, deixando de pensar nos outros, saiu briga por isso e enquanto um dormia o outro ia lá desconectar o celular da pessoa e colocava o seu. Essa guerra de tomadas durou praticamente todo o trajeto!

Mas o grande destaque dessa viagem de ônibus pela Europa, foi um homem, aparentando uns 35 anos que ouvindo música em seu fone levantava de sua poltrona para dançar no corredor. O segundo motorista veio diversas vezes falar com ele e até ameaçou não deixá-lo seguir viagem, mas não adiantou nada.

Confesso que hoje, quando eu lembro da cena dou muita risada, só que na hora eu não fiquei muito confortável. Ele estava drogado e não dava para saber qual seria sua atitude.

Sem paradas

No começo do trajeto foi tranquilo usar o banheiro, mas depois de algumas horas começou a ficar complicado. E o pior que em todas as paradas que eles faziam para embarque e desembarque de passageiros nenhuma era um posto de conveniência. O ônibus parava cinco minutos e depois já seguia viagem.

O paraíso foi quando pudemos esticar as pernas depois de sete horas de viagem, 10 minutinhos de parada para todo mundo ir ao banheiro e comprar algo para comer. Mas, não pense que era uma estação serviço como estamos acostumados no Brasil, com lanchonete e tudo. Nada disso, apenas máquinas automáticas que vendem bebidas e snacks, sem nenhum contato humano. 

Após nossa parada em Strasbourg, o ônibus ficou um pouco mais vazio e silencioso. Mas eu mal consegui dormir, era uma das únicas mulheres e não me senti totalmente à vontade. 

E o homem que antes dançava, depois começou a fazer flexões no corredor com o ônibus em movimento. Sabe aquele ditado é rir para não chorar? Pois é, foi a única opção.

LEIA TAMBÉM:
Como viajar barato pela Europa
WhatsApp no exterior, como se manter conectado

Rodoviária de Florenc: a tão esperada chegada

Chegamos uma hora e meia depois do previsto no bilhete. Mas, olha, quando eu desci daquele ônibus na estação de Florenc, em Praga, foi uma das melhores sensações da minha vida. Eu estava exausta! 

Sem dúvidas essa foi a viagem de ônibus mais bizarra da minha vida.

Informações úteis:

Florenc é a principal rodoviária de Praga, a estação de metrô para acesso recebe o mesmo nome. Se ela também for o seu destino durante sua aventura de ônibus pela Europa, aí vão algumas informações úteis:

  • Guarda volumes – caso precise deixar sua mala por qualquer motivo. O preço hoje é de 3 euros por item.
  • Turismo office – para tirar dúvidas sobre Praga, pegar mapa e tudo mais.
  • ATMs – para sacar dinheiro na moeda local. Lembre-se que na República Tcheca não se utiliza o euro e sim a Coroa Checa. Um real equivale a cerca de 4,45 coroas. Vale dizer que os ATMs de cor amarela e azul, normalmente escrito Euro, não é uma boa opção para sacar dinheiro. Ele costuma ter taxas maiores. Dê preferência aos caixas de bancos. 
  • Banheiros – custam 50 centavos de euros. Os que estão localizados na plataforma 3 funcionam sem parar. Já os que ficam dentro do prédio H1, funcionam das cinco da manhã até meia noite. O segundo também conta com chuveiro pelo preço de 50 coroas. 
  • Comida – se você quiser comer algo, Florenc tem um Burger King, Starbucks e mais algumas opções. Além disso, se você der uma voltinha por perto da rodoviária também vai encontrar mais possibilidades.
  • Wi-Fi – para quem quiser se conectar. 

Todas as informações sobre a rodoviária de Florenc podem ser encontradas aqui no site oficial.

Principais companhias de ônibus na Europa

ônibus pela Europa - parque

Abaixo estão as principais empresas de ônibus na Europa. Além disso, cada país costuma ter companhias locais.

  1. Flixbus 

É uma das mais conhecidas e atende muitos destinos na Europa. Já viajei por ela, a qualidade é um pouco melhor que a Eurolines, mas sem luxo. 

  1. Eurolines

A empresa Belga passou a fazer parte da Flixbus. Mas vai ficar na minha memória para sempre.

  1. BlaBlaBus

Já bem conhecida pelo serviço de carpool, o BlaBlaCar.

  1. Busabout

Oferece opções de hop-on hop-off e pode ser uma boa escolha para quem quer encarar um mochilão pela Europa de ônibus. 

Dicas e considerações finais

Ao escrever esse texto e lembrar da pior viagem de ônibus da minha vida eu ri. Mas, olha, no dia não foi nada fácil. 

Eu voltaria a encarar o ônibus? Talvez sim, mas em distâncias mais curtas.14 horas é muita coisa. No avião, você ainda pode levantar, andar um pouco, tem comida. Eu achei menos cansativo.

Se você decidir encarar essa aventura, minhas dicas são:

  1. Se alimente bem antes da viagem – muitas companhias, inclusive a que eu utilizei, não permitem refeições a bordo. 
  1. Use roupas confortáveis – principalmente se forem longos trajetos, roupas muito apertadas podem machucar e atrapalhar o sono, caso queira dormir para não ver a hora passar.
  1. Leve um carregador portátil – como no site da empresa dizia que o ônibus contava com carregador, eu não me preocupei em levar um portátil e, depois, me arrependi profundamente. Além disso, para garantir, leve com você um USB e um carregador de tomada também, é melhor prevenir. 
  1. Cuidado com os líquidos – se você é como eu que qualquer líquido faz você querer ir ao banheiro umas 20 vezes, fique atento a isso. Pois o banheiro do ônibus, com muita gente utilizando, acaba ficando sujo. Além disso, lembre-se de levar papel com você, ele sempre acaba.
  1. Leve dinheiro e moedas – mesmo que não seja em grande quantia, ter algumas moedas comigo foi o que me salvou para conseguir pagar o banheiro de verdade na única parada da viagem e ainda conseguir comprar algo nas máquinas automáticas.
  1. Faça alongamento – você não precisa levantar e dançar como o mocinho da minha viagem. Mas é bem importante alongar a panturrilha durante o trajeto, vai ajudar o sangue circular e evitar a dor nas pernas.

Essa foi a minha experiência e você, já viajou de ônibus pela Europa ou entre países? Compartilha nos comentários como foi.

Até a próxima! 🚌

Faça parte da tripulação!

Inscreva-se para receber novidades em seu e-mail. Nada de spams 😉