Esses dias me deparei com a seguinte atração turística: a fronteira desmilitarizada entre a Coréia do Norte e a Coréia do Sul (o lugar é conhecido pela sigla DMZ). Você já tinha ouvido falar ou então, quem sabe, já se aventurou por lá?

Não é o tipo de lugar que você vai buscando a vista mais deslumbrante para tirar um monte de selfies. É para quem gosta de história, que quer pisar em um dos lugares que continua sendo um dos lugares mais tensos do mundo e se considera realmente um curioso.

Quem não quer pedir um visto para entrar nas terras de Kim Jong-un, mas adoraria dar uma espiadinha, mesmo que de longe, na Coréia do Norte, visitar a zona desmilitarizada pela Coréia do Sul é a opção ideal.

Na verdade, pesquisando sobre o assunto descobri que essa é uma região que atrai muitos turistas. Existem diversos pacotes (acredite!) de day tours oferecidos para lá.

O que ver na região desmilitarizada

fronteira entre a Coréia da Norte e a Coréia do Sul

No site oficial de turismo da Coréia do Sul dá para conhecer cada ponto de interesse na região da DMZ. Segundo eles, o local é extenso e para que você possa aproveitar ao máximo o seu dia por lá, o ideal é escolher uma das partes que pretende visitar com antecedência.

São sete opções de cidadezinhas e vilas pequenas que podem ser visitadas: Paju, Yeoncheon, Cheorwon, Hwacheon, Yanggu, Inje e Goseong. Em cada uma delas, você pode encontrar alguma atração.

LEIA TAMBÉM:

O terceiro túnel

Ele tem pouco mais de 1,6 metros de comprimento e dois metros de altura. Construído em 1978 pelos norte coreanos como uma forma de “infiltração” para espiarem o que os sul coreanos estavam fazendo. Hoje, se tornou uma atração turística.

Dorasan Station

Essa é uma das estações de trem da Gyeongui Line que ligam Seoul a Sinuiju (uma das maiores cidades na Coréia do Norte), porém o uso por civis é totalmente restrito. Para visitá-la é preciso se registrar anteriormente ao tour da DMZ.

Essa estação já recebeu o ex-presidente da Coréia do Sul Kim Daejung e George H.W. Bush.

Observatórios

Os pontos mais altos ao longo da fronteira entre a Coréia do Norte e a do Sul são os observatórios.

São deles que é possível avistar, de longe, por meio dos grandes telescópios e das cercas, o dia a dia das pessoas que vivem nas aldeias da Coréia do Norte. Um dos mais conhecidos é o observatório Dora.

Como visitar visitar a fronteira entre a Coréia do Norte e a Coréia do Sul?

fronteira entre a Coréia da Norte e a Coréia do Sul_guarda

Se você se interessou pelo passeio e quer saber mais sobre cada lugar, pelo site oficial de turismo da Coréia do Sul é possível encontrar as informações sobre o passeio até a fronteira desmilitarizada e também comprar tíquetes.

Agora, se você prefere comprar por uma agência, a VIP Travel também oferece opções a partir de 55,000 wons – algo em torno de 170 reais.

A Becki, uma jornalista de viagens britânica, visitou a fronteira tanto pelo lado da Coréia do Sul tanto pelo lado da Coréia do Norte e compartilhou o relato em seu blog, o Borders of Adventures. Se quiser saber como foi é só visitar o site (está em inglês).

Vale lembrar:

  • Todos os visitantes precisam estar com o passaporte em mãos durante o tour, pois ele pode ser pedido a qualquer momento.
  • Mesmo sendo uma atração turística hoje, a DMZ continua sendo uma das áreas mais tensas do mundo. Cada visitante assina um termo de responsabilidade.

E aí, o que você achou dessa atração? Eu já sei que vou precisar passar por lá!

Até a próxima! ✈

Faça parte da tripulação!

Increva-se para receber dicas em seu e-mail. É free e nada de spams. 🙂