A apenas pouco mais de 40 quilômetros de São Paulo, o templo Zu Lai tem atraído mais e mais pessoas querendo conhecer um pouquinho da tradição budista. Todo mundo quer ver as estátuas – fofas – dos budas espalhadas por todo lado, admirar a arquitetura típica da Ásia e, claro, entender um pouquinho mais dos rituais e meditação.

Além do templo, o espaço Zu Lai tem um lago cheio de tartarugas simpáticas e peixes, com aquela clássica ponte atravessando de um lado para o outro.

Chegando no templo Zu Lai

Templo Zu Lai

Quem vai de carro saindo de São Paulo, o caminho mais fácil é pegar a Raposo Tavares, o acesso é feito pelo Km 28,5. Depois de sair da estrada, você vai se deparar com placas que sinalizam como chegar ao templo.

Quem preferir ir de ônibus, só aos domingos tem um fretado que sai da  R. Dr. Rodrigo Silva, ao lado da loja Ikesaki próximo a Estação Liberdade do Metrô às 8h30.

Esse é o único horário disponível, o retorno é feito por volta das 16h. O preço por pessoa é de R$ 15 e não é necessário agendar ou reservar lugar.

Antes de planejar sua visita, vale olhar o horário de funcionamento:

  • De terça à sexta-feira das 12h às 17h.
  • Sábados, domingos e feriados das 9h às 17h.
  • Segunda-feira o templo não fica aberto para visitação.

O estacionamento é gratuito.

O que fazer por lá

Se você não for participar de nenhuma prática oferecida pelo templo, uma hora e meia é suficiente para conhecer o espaço.

Do estacionamento até o templo, você vai se deparar com diversas estátuas de budas, algumas são mais concorridas para fotos. Pare diante da escadaria que leva ao templo, contemple a paisagem.

O grande salão é aberto para visitações fora do horário de cerimônias. Ali na frente, aos domingos, você pode comprar um incenso (o valor é o quanto você pode contribuir) e os guias do templo ensinam como fazer o ritual de oferenda.

Há também um espaço de meditação que é preciso consultar o horário de funcionamento. Ao redor do templo Zu Lai, você pode fazer pequenas caminhadas e aproveitar a natureza, sentar um pouco ao redor do lago para relaxar ou bater papo.

Para quem quer participar de práticas gratuitas aos domingos, a agenda costuma ser essa abaixo, mas vale consultar o site antes de ir.

9h30 – Prática de Meditação em Movimento (atividade fixa, inspirada no Tai Chi)

10h – Cerimônia (atividade fixa, vide no botão ATIVIDADES a agenda do ano)

14h – Palestra (atividade eventual, vide no botão ATIVIDADES a agenda)

15h – Meditação (atividade fixa, com fundamentos básicos)

LEIA TAMBÉM:

Alimentando-se no templo Zu Lai

Templo Zu Lai-do alto

O templo conta com um restaurante que serve almoço para os visitantes. Todas as opções são vegetarianas e o preço é de R$ 30. Esse valor dá o direito de se servir à vontade, no estilo self-service.

É importante saber que o restaurante só aceita pagamentos em dinheiro.

Quem quiser algo mais leve, a lanchonete tem opções de yakissoba por R$ 20, além de salgados como coxinha, kibe, empada e outras delícias. Todas elas são vegetarianas.

Aqui você também vai encontrar café e doces, além de uma grande variedade de pães feitos no templo para a venda. É uma boa oportunidade para provar o pão chinês.

Na lanchonete, o pagamento pode ser feito por cartão de débito.  

Ao lado da lanchonete está uma lojinha que vende diversos produtos da prática budista, ótima opção para quem comprar livros, incensos, estátuas de buda entre outras lembranças.

Vale lembrar

Mesmo que o templo seja aberto ao público, ele não deixa de ser um espaço de práticas religiosas. Então, eles pedem para evitar roupas com muito decote ou muito curtas.

Também não é permitido trazer comida de fora, fotografar dentro do grande salão ou fumar nas dependências do templo.

Você já foi no templo Zu Lai? Então compartilhe nos comentários o que achou!

Até a próxima! 🏯

Faça parte da tripulação!

Increva-se para receber dicas em seu e-mail. É free e nada de spams. 🙂